quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Nota do Enem 2016: Entenda a relação entre a quantidade de acertos na prova e a nota calculada pela TRI.

Hoje, 18/01/2017, o Inep-MEC vai divulgar as notas do Enem 2016. Como todo ano, haverá um grande fluxo no site do Inep e muita espera... Assim se o "F5 te ama" e você quer se informar sobre qual nota irá alcançar com a quantidade de acertos que teve em cada área, vem conosco entender a Nota do Enem. Vamos lá!

A boa noticia, é se você acertou metade das questões de cada área do conhecimento, provavelmente a sua nota ficará bem acima de 500, especialmente em Matemática e Ciências da Natureza.

Isso acontece porque a TRI, modelo estatístico utilizado para calcular as notas do ENEM, não simplesmente atribui uma porcentagem de acertos para cada aluno (como fazem outros vestibulares), mas sim os coloca em uma régua (a "escala ENEM") de acordo com a proficiência que cada um demonstrou ter. É como se eles distribuíssem as 45 questões em uma escala, conforme o nível de dificuldade de cada uma, e avaliassem até que ponto da régua o aluno acerta as questões (cada um começa a errar as questões a partir de determinado grau de dificuldade). Esse ponto da régua corresponde à nota do participante na prova.

Há mais uma coisa que a TRI leva em conta: a coerência pedagógica das respostas. Não é coerente que alguém erre as questões mais fáceis e acerte várias difíceis, concorda? Não faz sentido errar um cálculo simples de área do quadrado e, ao mesmo tempo, acertar uma questão complexa envolvendo o cálculo de volume do cone, por exemplo. Se o conjunto das respostas não mostrar certa consistência (acertar fáceis), a nota do respondente não será tão alta quanto a de outro aluno com a mesma quantidade de acertos.

Clique na Imagem para Ampliar
A régua a cima, retirada de um material produzido pelo Inep, mostra a simulação das notas de dois estudantes que acertaram 5 questões em uma prova composta por 10 itens. O primeiro deles (A) mostra coerência pedagógica muito maior que o segundo (B), por isso suas notas diferem tanto.

Voltemos às provas do ENEM, que têm 45 questões cada uma. Os estudantes que acertaram 15 questões, por exemplo, terão notas diferentes dependendo de quais foram as 15 corretas.

Como veremos nos gráficos abaixo, a variação da nota, principalmente para quem acerta menos da metade das questões, é grande, podendo variar mais de 200 pontos. Quem acertou 11 itens na prova de Matemática de 2011, por exemplo, obteve notas no intervalo de 340 a 560.


Portanto, se você resolveu a prova com cuidado, fazendo as que sabia e chutando as difíceis, o modelo estatístico entenderá que seus acertos são coerentes e você terá uma nota próxima da máxima para aquela quantidade de acertos.

Com esses gráficos, também produzidos pelo próprio Inep, você conseguirá ter uma ideia das notas mínimas e máximas alcançadas para cada quantidade de acertos. Esses dados são de uma prova anterior, afinal os deste ano não foram sequer calculados, mas com eles é possível ter uma ideia do que está por vir.

Relação entre a quantidade de acertos e a nota calculada pela TRI, para cada área do conhecimento:

Matemática e suas Tecnologias


Observe, no gráfico, que os estudantes que acertaram até 20 questões tiveram notas muito diferentes entre seus pares. Os que acertaram 10 itens, dependendo de quais 10 foram, conseguiram notas entre 330 e 450, aproximadamente. Já os que acertaram 15, alcançaram entre 420 e 550 pontos na escala do ENEM.

Participante 1: Teve 5 acertos e sua nota foi 330,6;
Participante 2: Teve 15 acertos e sua nota foi 504,0;
Participante 3: Teve 41 acertos e sua nota foi 878,7;
Nota máxima: Com 45 acertos,  o aluno obteve a nota 953,0.


Ciências da Natureza e suas Tecnologias

Estudantes com 10 acertos em Ciências da Natureza, dependendo da coerência pedagógica das respostas, receberam notas entre 300 e 450. Com 15 acertos nessa área, era possível pontuar entre aproximadamente 400 e um pouco mais de 500.

Participante 1: Teve 6 acertos e sua nota foi 300,8;
Participante 2: Teve 19 acertos e sua nota foi 500,5;
Participante 3: Teve 41 acertos e sua nota foi 825,0;
Nota máxima: Com 45 acertos,  o aluno obteve a nota 867,2.


Ciências Humanas e suas Tecnologias

Há estudantes com 8 acertos que tiveram praticamente a mesma nota de quem deixou a prova em branco. Esses alunos que acertaram 8 (e tiveram nota 270) provavelmente chutaram todas as questões, visto que não demonstraram nenhuma coerência nas suas respostas. Note também que o participante 2 acertou mais da metade das questões (24) e teve nota pouco acima de 500, demonstrando pouca coerência pedagógica.

Participante 1: Teve 8 acertos e sua nota foi 279,4;
Participante 2: Teve 24 acertos e sua nota foi 507,0;
Participante 3: Teve 44 acertos e sua nota foi 784,4;
Nota máxima: Com 45 acertos,  o aluno obteve a nota 793,1.


Linguagens, Códigos e suas Tecnologias

Em Linguagens, a média de acertos costuma ser maior. Como, na TRI, as notas são atribuídas comparativamente à média de um grupo de referência, nessa prova é mais difícil se distanciar da média. Simplificando, como os alunos costumam acertar mais, é mais difícil se destacar, e por isso as notas obtidas para cada quantidade de acertos são menores do que nas outras 3 áreas do conhecimento. Aqui, acertando metade das questões, a nota costuma vir próxima de 500.

Participante 1: Teve 5 acertos e sua nota foi 316,8;
Participante 2: Teve 21 acertos e sua nota foi 498,9;
Participante 3: Teve 44 acertos e sua nota foi 756,1;
Nota máxima: Com 45 acertos,  o aluno obteve a nota 795,5.

Vestibulandos, confiram aqui tudo sobre o SISU!


Grande abraço,

Cursinho Unifesp Guarulhos-CPPU

"Diferente também em Saber"




Fonte: Daeb/Inep. Entenda a sua nota no ENEM: Guia do Participante. Brasília, 2012.

Nenhum comentário:

Postar um comentário